#leite-de-vaca

10 substitutos para o leite de vaca. O alimento certo para a espécie errada.

Por Juliana Carreiro

04/01/2016, 10h00

   

20121213-232506-ricemilk-featured

A imagem de uma mãe amamentando o seu bebê sempre nos faz pensar em saúde, certo? O leite então ganha um status de alimento completo, saudável e indispensável à nossa dieta. Porém, temos que tomar muito cuidado para não confundirmos o leite materno com os de outras espécies, como os de vaca, de cabra, de ovelha ou de búfala, por exemplo.  A composição deles é muito diferente. Enquanto o primeiro é, de fato, o alimento mais completo que existe, os outros podem ser os causadores de diversos problemas de saúde para nós, seres humanos. O alimento produzido pela  vaca é feito para os animais da sua espécie, os bezerros. Eles sim possuem todas as condicoes  necessárias para o seu aproveitamento. Nós não temos a quantidade de enzimas suficiente para “quebrar” todas as proteínas presentes nos laticínios, que possibilitariam a sua correta absorção e utilização.  

Atenção, estou falando sobre as proteínas do leite de vaca, em especial a betalactoglobulina, que provocam essa hipersensibilidade na maioria das pessoas. Hoje tem se comercializado algumas linhas de produtos derivados do leite sem lactose. Eles irão amenizar apenas os sintomas relacionados à intolerância à lactose, que é o açúcar do leite, que normalmente causa desconfortos intestinais. E essas mesmas pessoas também têm problemas para digerir as proteínas do leite. Nesse caso, estes produtos sem lactose não trarão nenhum benefício.

Assim como acontece com o glúten, o acúmulo destas proteínas mal digeridas pode provocar processos inflamatórios que vão resultar em diversos sintomas adversos no organismo. É difícil associar este consumo às suas consequências pois elas não aparecem logo após a ingestão dos alimentos e porque atingem órgãos muito diferentes, que variam de pessoa para pessoa, de acordo com as predisposições genéticas.  A inflamação pode se instalar no sistema respiratório causando rinite, bronquite, sinusite ou asma.  Pode afetar o sistema nervoso central, gerando ansiedade, irritabilidade e depressão, ou pode até mesmo atingir a pele, causando dermatite. Esses são só alguns exemplos, dentre muitos outros. Quase sempre os sintomas são tratados separadamente por profissionais das áreas específicas. Dessa forma, podem ser amenizados, mas como a causa continua agindo no organismo, ou o sintoma volta ou pode se manifestar em outro órgão.

Este assunto, que hoje pode estar na moda, entrou na minha vida vinte anos atrás. Minha mãe consultou um amigo nutrólogo para ajudar o meu irmão, que na época tinha nove anos e sofria de rinite e bronquite crônicas. A recomendação a assustou: tirar o leite da vida de uma criança? A resposta foi buscada nos livros, mas só foi encontrada  em referências editoriais de fora do País. O jeito era testar pra ver no que dava. Um mês depois de retirá-lo completamente das nossas rotinas, a dúvida foi desfeita. A rinite e a bronquite, enfim, sumiram. Eu, que sofria de otite e amidalite, também vi esses problemas desaparecerem. Por que, então, voltar a consumi-lo frequentemente? Não o fizemos até hoje. De lá pra cá, testamos diversas receitas com substitutos e funcionou. Naquela época era muito difícil encontrar alguma opção pronta para vender. Hoje não faltam receitas de leites vegetais na internet e eles têm ocupado cada mais vez mais espaço em supermercados e lojas especializadas em produtos naturais. Todos os itens que serão listados abaixo são mais nutritivos e benéficos para a nossa saúde do que o leite de vaca.

01 Leite de inhame – é o mais barato entre os leites vegetais, para fazer em casa é muito simples, basta ferver um inhame médio durante dois minutos, jogar a água fora e bater no liquidificador com 100ml de água filtrada. Ele pode ser usado em diversas preparações doces e salgadas, ou batido com frutas ou cacau e tomado em forma de vitamina.

02 Leite de arroz – é o mais encontrado nos supermercados e nas lojas especializadas e substitui bem o leite em sua forma pura, por exemplo, para ser tomado no café da manhã com cacau ou café.

03 Leite de aveia – assim como o leite de arroz, tem sido comercializado cada vez mais pelos supermercados e lojas especializadas. Pode ser consumido com café, cacau, batido com frutas ou em preparações.

04 Leite de oleaginosas como avelãs, amêndoas, castanhas – são encontrados em lojas especializadas, mas também podem ser feitos facilmente em casa, são ótimos para receitas doces.

05 Leite de quinoa –  é considerado um alimento completo pela Organização Mundial da Saúde, pois é composto por todos os nutrientes necessários ao nosso organismo. Pode ser encontrado em pó, pronto para consumo, ou pode ser feito em casa. duas colheres de sopa do grão, 200ml de água

06 Leite de amaranto – tem as mesmas características nutricionais da quinoa e também pode ser facilmente feito em casa.

07 Leite de coco – é o mais fácil de ser encontrado e substitui muito bem o leite em receitas de bolo, por exemplo.

08 Chás e sucos de frutas – podem ocupar o lugar do leite nos lanches e cafés da manhã ou nas receitas de tortas e bolo, por exemplo.

09 Água – pode ser usada em várias receitas que levariam leite.

10 Fórmulas infantis hidrolisadas – são indicadas para crianças com menos de 2 anos, quando não for possível amamentá-las, mas é importante consultar um especialista para saber qual delas é a mais indicada para o seu filho, pois existem vários tipos no mercado, com diferentes graus de hidrolisação, ou seja, de quebra das proteínas que não conseguimos digerir.

Se a sua preocupação é com a falta do cálcio, que viria do leite, pode ficar tranquilo. No próximo post vou mostrar como a bebida mais consumida pelos brasileiros pode, pasme, retirá-lo de dentro dos nossos ossos.