Não é incomum ouvir pais comentarem sobre a “agenda lotada” de seus filhos. São festas dos colegas da escola, inglês, natação, futebol, dança… Uma vida mais tranquila é o que muita gente tem buscado. E na infância? Qual é a importância do silêncio, do tempo consigo mesmo, principalmente no processo de formação e autoconhecimento de uma criança?

Na contramão da histeria da vida contemporânea, o lindo projeto SlowKids vem se destacando. O próximo evento está marcado para este domingo (29), das 9h às 16h, no Parque Villa-Lobos. Artes, brincadeira e natureza reúnem famílias em um dia para desacelerar.

O Blog Era Uma Vez conversou com Juliana Borges, uma das idealizadoras do projeto. Leia a entrevista:

Blog Era Uma Vez: Como surgiu a ideia de criar o Slow Kids?

Juliana: A ideia nasceu a partir do momento que começamos a observar as crianças com agendas lotadas de atividades e sem tempo para brincar. Com isso, as famílias passam pouco tempo juntas, principalmente ao ar livre, pois passam muito tempo em frente às telas. Essa rotina acelerada tem levado ao aumento da obesidade infantil e dificultado a capacidade de se relacionar , entre outros tantos problemas ligados à infância. A partir de nossos desejos de observações levamos a ideia ao Instituto Alana, que nos apoiou, nascendo assim o Movimento SlowKids. Essa parceria nos alimenta com o que há de mais avançado nos temas relacionados à infância.

Blog Era Uma Vez: Qual é a importância de atividades que desacelerem? O que a criança aprende com esses momentos?

Juliana: O brincar é um direito da criança. É assim que ela experimenta o mundo, cria, fantasia, se sente segura, organiza suas emoções e se desenvolve em todos os aspectos.  Na verdade o brincar tem de estar presente em todos os momentos de nossas vidas.

Blog Era Uma Vez: O que você acha do excesso de uso de telas pelas crianças, como computador, celular, tablet e televisão?

Juliana: Preocupante. A criança brasileira fica em média cinco horas por dia em frente às telas. Esse tempo deve ser controlado e não deve ser maior que outras atividades do dia. Essa situação traz diversos malefícios, entre eles a obesidade infantil e o estímulo ao consumido infantil.

Blog Era Uma Vez: Qual é a  importância do brincar e do contato com a natureza?

Juliana: O contato com a natureza é fundamental para a saúde física e mental da criança. Essa interação estimula o uso de todos os seus sentidos, fazendo com que ela se aproprie dos espaços, dos outros e de si mesma. Crianças que brincam regularmente com elementos naturais têm mais coordenação, equilíbrio e agilidade. O impacto negativo da mídia e dos jogos eletrônicos é observado tanto no desenvolvimento físico das crianças, como no emocional, social e mental. Por isso é importante que esse tempo seja limitado e que haja sempre a mediação ou o acompanhamento de um adulto.