O Bobo do Rei, Companhia das Letrinhas, R$ 34,90.

O Bobo do Rei, Companhia das Letrinhas, R$ 34,90.

A Cia. Vagalum Tum Tum, com direção de Angelo Brandini, ficou famosa por adaptar lindamente clássicos de Shakespeare. Os fãs agora vão poder levar um pouquinho dessa magia dos palcos para casa. Em 3 de outubro, próximo sábado, Brandini lança o livro O Bobo do Rei (Companhia das Letrinhas, R$ 34,90), na Livraria NoveSete (Rua França Pinto, 97, Vila Mariana), às 15h.

No evento, haverá uma instalação, com figurinos, cenários e vídeos do grupo. O livro apresenta o texto completo da peça homônima e incentiva as crianças a remontarem a obra em casa, com sugestões de figurinos, cenários e até iluminação.

O Bobo do Rei é uma adaptação do clássico Rei Lear. Na história, o monarca desafia as três filhas a demonstrarem maior afeto e gratidão a ele. Quem vencer a disputa ganha mais terras na divisão do reino. A caçula Cordélia é a mais tímida e não consegue se expressar, mas é também a mais verdadeira.

Angelo Brandini: autor do livro O Bobo do Rei

Angelo Brandini: autor do livro O Bobo do Rei

Confira entrevista com o escritor, ator e diretor Angelo Brandini:

Era Uma Vez: Como surgiu a ideia de publicar o texto da peça?

Angelo Brandini: Na verdade, esse livro faz parte da Coleção Fora de Cena, idealizada e com curadoria de Gabriela Romeu, na Companhia das Letrinhas. Ela escolheu esse texto, porque ela ama o espetáculo. É a primeira vez que fazem isso no Brasil.

Quais são os temas do livro?

Eu falo um pouquinho sobre Shakespeare e mostro como as crianças podem montar a peça na casa delas. Explico, por exemplo, o que é um figurino e quais são as funções do cenário e da iluminação. É bem didático. Eu sugiro como brincar em casa, sem precisar estar em um teatro. É preciso entender o teatro de um jeito mais simples.

Quais são as dicas para as brincadeiras?

Eu sugiro pegar roupas emprestadas da mãe ou da tia para o figurino. Você também pode usar uma lanterna para criar um clima com a iluminação e fazer a apresentação à noite, em casa. Em minhas peças, eu sempre uso elementos que as pessoas reconhecem como coisas próximas. Todas as minhas espadas, por exemplo, são cabos de vassoura. É um jeito das crianças replicarem as cenas. A ideia é facilitar a brincadeira de teatro.