[galeria id=5914]

 

Ponto tradicional de compras da cidade, a feira de flores da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), na Vila Leopoldina, zona oeste, muitas vezes deixa o consumidor – que gosta de plantas, mas não é especialista – desorientado. Para ajudar no passeio, o florista e decorador Vic Meirelles, de 48 anos, preparou um roteiro especial, com 10 dicas.
“Lá tem de tudo – de rosas colombianas a árvores frutíferas para o jardim. Não faltam acessórios como vasos importados, tesouras de poda e fitas para enfeitar pacotes”, diz Vic.O galpão de 20 mil m², que sai da frente da praça do relógio do complexo, reúne mais de mil produtores. E um dos grandes atrativos é o preço, que chega a ser a metade do cobrado em floriculturas.
O florista é famoso por assinar arranjos de grandes festas, algumas que marcaram época, como o casamento do ex-jogador Ronaldo com a modelo Daniella Cicarelli no castelo de Chantilly, na França. Toda terça-feira, nos últimos 28 anos, Vic costuma entrar pelo portão 2 da Avenida Doutor Gastão Vidigal às 4h30.

 

Madrugada.De cara, ele já avisa: “Quem vai à Ceagesp tem de madrugar mesmo. Aprendi a comprar na feira quando trabalhava como empregado na Leonor Flores, que funcionava dentro de um posto de gasolina”, conta. “Tem de chegar à feira pelo menos às 5h, porque as boas coisas acabam rápido. Às 7h, as prateleiras começam a esvaziar.” O sacrifício de acordar cedo compensa. “Aqui é possível encontrar plantas exóticas, como uma orquídea importada da Tailândia (R$ 120), que dificilmente se acha numa floricultura”, diz Vic. Ao lado, dicas de compras e do que está na moda.

DICAS IMPERDÍVEIS

 

Rosas
Paulino Flores trabalha com rosas importadas (R$ 55, o maço com 20 botões) e nacionais (R$ 25). As melhores são as que têm cabo longo. “Aliás, quanto mais longo melhor.” No box 379.
Folhagem 
Arranjos feitos só com folhagens estão em alta. A vantagem é que duram muito no vaso, até 20 dias, caso do ruscus (R$ 5, o maço). Outra opção é a folha de magnólia (R$ 5). No box 383.

Orquídea asiática 
Também conhecida como phalaenopsis (R$ 260, o vaso), é toda rajada e chegou ao Brasil há três anos. No box 94.

Angélica e hortênsia
A dúzia da angélica sai por R$ 5 e da hortênsia, por R$ 6, no box 115.

Trepadeira e samambaia
Gloriosa é o nome popular de uma flor de trepadeira, que é vendida em galhos. O maço curto com 8 flores sai por R$ 6. “Fica ótima se misturada a chuva de ouro.” A banca também vende a clássica samambaia, que voltou à moda nos muros verdes. Box 136.

 Tempero e suculenta
A banca tem de tudo para organizar uma horta em casa. Mas também vende uma suculenta que faz sucesso nos projetos. É a rosa de pedra, um tipo de cacto. (R$ 25, a caixa com dois vasos). Boxes 216 e 217.

 Antúrio do Amazonas
Para quem gosta de uma estética à la Burle Marx no jardim. As folhas são gigantes (R$ 300, o vaso). No box 506.
 Tesouras e acessórios
Vende todo tipo de ferramenta para uma pequena jardinagem. Uma tesoura de poda, feita de aço que não enferruja, sai por R$ 40. No box 125 B.

Flores permanentes
Popularmente conhecidas como artificiais, são usadas em locais onde as naturais não resistiriam – por exemplo, para decorar um teto de vidro. “Uso muito em altares de igrejas, mas sempre misturadas com as naturais.” Uma bola de rosas com diâmetro de 10 cm sai R$ 64. No box 119 B.

Vasos importados
De fibra, o vaso vietnamita parece de cerâmica. “É leve e tem a vantagem de não esquentar como o de plástico.” R$ 95, com 53 cm de diâmetro e 45 cm de altura. No box 53.