Acessórios para proteger aparelhos telefônicos ganham muitas cores,
estampas de grife, desenho retrô e até cristais

Giovanna: capa de coelho na vida real
e na novela

   Virou moda personalizar o celular com uma capa diferente do tradicional e discreto silicone preto. O apresentador Marcos Mion, de 33 anos, por exemplo, tem uma retrô que reproduz o gameboy de 1988. A atriz Giovanna Antonelli, de 36 anos, preferiu uma capa mais feminina e extravagante, com orelhas de coelho.

Giovanna gosta tanto do acessório que comprou um igual para colocar no celular de sua personagem, Claudia, na novela Aquele Beijo, da TV Globo. E assim fez a moda se espalhar ainda mais. “Estou com uma lista de pedidos de clientes”, diz Jana Tahira, de 33 anos, dona da Japonique, loja de objetos descolados na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. “Todas essas capas são importadas. Recebo levas pequenas, que acabam rapidamente.”
A moda pegou usuários de todas as idades. A adolescente Gabriella de Haas, de 14 anos, ganhou uma do Angry Birds, personagem que dá nome a um game de sucesso. “Agora quero comprar uma capa de fita cassete”, conta a adolescente.

A capa de coelho de Giovanna e a fita cassete são os hits da temporada. Na Rua Santa Ifigênia, no centro, elas podem ser encontradas por R$ 30. O preço dobra nas lojas dos Jardins.

De grife. Até grandes marcas entraram nessa corrida das capas. Lacoste, Swarovski, Cartier e Versace têm modelos exclusivos. Diane von Furstenberg – marca conhecida por introduzir no guarda-roupa feminino o vestido envelope, na década de 1970 – lançou capinhas que repetem os desenhos das estampas dos tecidos da coleção. Custam R$ 150. As capas da Swarovski, de mosaicos de cristais, chegam a custar R$ 700. A Quiksilver, uma das principais marcas internacionais de surfe, também entrou na onda. Entre os modelos da coleção, o xadrez multicolorido (R$ 109) ganhou a preferência dos meninos.

“O celular virou objeto de exibição. Tem mais presença do que um relógio ou uma pulseira”, diz a designer Sabrina Arini, de 33 anos, do estúdio Jaya. “E a capa virou um jeito de diferenciá-lo.” Na semana passada, Sabrina foi procurada por mais de dez lojistas interessados em desenvolver capas exclusivas. “Aqui no Brasil ainda não dá. Não temos máquinas para trabalhar no silicone. Mas os chineses têm. E eles dominam o mercado.”

As capas descoladas não servem para todas as marcas de celulares. Tem para iPhone – a maioria – e também BlackBerry. Veja galeria abaixo e endereços de onde encontrar os produtos.

[galeria id=2472]

ONDE:
DECO SKIN (REVENDEDOR DA
SWAROVSKI). TELEFONE: (11) 5189-4788;

TORY BURCH: WWW.TORYBURCH.COM

DVF: SHOPPING IGUATEMI (AVENIDA BRIGADEIRO FARIA LIMA, 2.232), PISO FARIA LIMA, TELEFONE: (11) 3034-4720

MARCHÉ ART DE VIE:ALAMEDA GABRIEL MONTEIRO DA SILVA, 1.606, TELEFONE: (11) 3853-9765