Muitos podem não saber o que significa a sigla acima. Eu mesmo não sabia até a semana passada.

 

SPAC: São Paulo Athletic Club.

 

 

Fundado em 1888 por William Snape, presidente fundador, William Fox Rule, Peter Miller, William Speers (Superintendente da São Paulo Railway Company), Charles Walker e Percy Lupton, foi o primeiro clube esportivo da cidade de São Paulo.

 

Estes nomes, aos mais desconhecidos, são de imigrantes ingleses que mudariam a história do Brasil por meio da introdução da ferrovia, da luz elétrica, do telegrafo, do gás, etc etc etc.

 

Britânicos que, inicialmente, se estabeleceram no bairro da Lapa, logo atrás da linha do trem, a atual Estação da Lapa.

Aqui, os nomes das ruas são quase todos ingleses… sendo Rua John Harrison, William Speers, Eng. Fox, Moxel & Tenente Landy, só para citar algumas onde ainda é possível encontrar vários resquícios de uma arquitetura da cidade que já se foi :

 

Reprodução Google StreetView

Reprodução Google StreetView

 

Reprodução Google StreetView

 

Inicialmente, o esporte que dominava os sábados da rapaziada inglesa transplantada no Brasil, era, claramente, o Criquet. Seguido também pelo popular Golfe e pelo “Bowls”, uma variante do jogo italiano de Boccia ou bocha, aqui no Brasil.

 

Mas as coisas foram mudando com a chegada, ou retorno, de novos emigrantes.

 

Era o caso de Charles William Miller. Todo o glamour do SPAC, não poderia ser contado sem um paralelo com a história deste mito.

 

Filho dos ingleses John Miller e Carlota Fox, nasceu em 24 de novembro de 1874, ao lado da Igreja do Bom Jesus, no Bairro do Brás.

 

Após concluir os estudos fundamentais no Brasil, seguiu em 1884 para a Inglaterra, onde estudaria na Banister Court School, em Southampton e teria no futebol sua matéria preferida.

 

Arquivo Jornal Estado de São Paulo

 

Futebol que ele traria de volta para São Paulo, literalmente, em sua bagagem em 1894, onde carregava uma bola de couro e ensinaria os ingleses antes e os brasileiros depois, a jogar.

 

Durante a semana trabalhava na São Paulo Railway e aos sábados reunia seus amigos e sócios do SPAC na chácara da família Dulley, situada no Bom Retiro, Rua Três Rios, para ensinar o ABC do Futebol.

 

Sua principal paixão por esse esporte em concorrência com os outros, era o contraponto de irmandade que o futebol pedia. Não era um esporte singular, era preciso formar equipes, coordenar esforços para vencer o jogo.

 

O primeiro jogo oficial aconteceu em 1895, reunindo colegas da SP Railway, amigos do London Bank e da companhia de gás. Os times foram nomeados de “São Paulo Railway” e “Gás Works Team”, vencendo esse primeiro, por 4 a 2.

 

Nascia ali, naquele dia, com aqueles amigos capitaneados por Charles William Miller, o time de futebol do SPAC. O primeiro da cidade.

Charles Miller em foto do Jornal Estado de São Paulo

 

Logo em seguida, seguiram o Mackenzie College Team dos Presbiterianos norte-americanos, e o Hans Nobiling Team, que levava o nome do alemão fundador, que nada tinha a invejar a Charles Miller quando o assunto era a paixão e divulgação deste jogo.

 

O SPAC não titubeou e convidou os americanos para o primeiro jogo “Internacional” no dia 12 de março de 1889, com hora marcada para o chá depois.

 

O jogo aconteceu nos terrenos do SPAC da Consolação, e ganharam por 3 x 0 os donos de casa.

 

Seguiu, claramente, o convite do terceiro e único, até então, clube da cidade, o Háns Nobling. Ao jogo compareceram 60 pessoas. Um recorde absoluto para o futebol brasileiro e foi ganho por 1 x 0 pelo SPAC.

 

A estes clubes, se somariam o clube Internacional e o Clube Athletico Paulistano, fundado este pelos filhos da Dona Veridiana, Antonio e Martinho Prado.

 

Estes, tinham viajado a Paris após os estudos, e na volta, pediram a mãe que construísse um velódromo em um de seus terrenos, onde hoje se encontra a Igreja da Consolação, para que desfrutassem da paixão pelos pedais que tinham incorporado naquela viajem a França.

 

A paixão volátil, foi substituída rapidamente pelo futebol, tornando o velódromo no primeiro verdadeiro estádio da cidade.

 

Nesse “estádio” se jogariam boa parte dos jogos do primeiro campeonato da liga paulista de futebol. Disputado pelos 5 times, acima descrito, terminou com pontuação empatada entre o SPAC e o Clube Athletico Paulistano, ambos somando 12 pontos.

 

A final foi no dia 26 de outubro de 1902, vitória por 2 x 1 do SPAC, com dois gols de Charles Miller. Nascia ali um mito. Dois na verdade, o do SPAC e o de Charles Miller.

 

Arquivo Jornal Estado de São Paulo

 

Em 1906, o SPAC conseguiu, definitivamente, seu terreno atual na Consolação.

 

A história desse acontecimento é singular e vale ser contada.

 

Em 1899 o SPAC alugara aqueles terrenos de Dona Veridiana, proprietária inclusive, de boa parte do “pedaço”.

 

Ficando, assim, intima dos ingleses, especialmente de William Rule e claro, Charles Miller, que eram “cousins”(primos).

 

Em 1906, seu filho Eduardo Prado estava tendo problemas políticos e corria grande risco de ser preso. Logo, a mãe preocupada, chamara os dois primos ingleses para que a ajudassem a tirar o filho do Brasil.

Eduardo Prado em foto do Arquivo do Jornal Estado de São Paulo

O plano foi simples, mas, engenhoso. Eduardo teria se passado por padre e viajara para a Europa como “Capelão de Bordo” em um navio rumo a Southampton.

 

Os dois ingleses acompanharam Eduardo até o embarque em Santos, e assim ele se foi, mas voltou alguns anos depois, após a calmaria ter sido reestabelecida.

Dona Veridiana ficou imensamente feliz com o resultado da “operação secreta” e propôs pagar uma grande recompensa. Oferta não aceita pelos Ingleses, que, porém, perguntaram se ela aceitaria vender seus terrenos da Consolação ao SPAC. E assim, por um preço especial, em 1906 o Clube ganha sua sede definitiva.

O Clube, neste ano, vai completar 130 anos e o mais interessante é a vontade em manter o legado de sua história vivo.

Para tanto, mantém dependências que contam com muitos elementos originais, dentre eles um pub inglês, um memorial dedicado a Charles Miller com anexa vitrine de copas/trofeus e o tradicional campo de Bowls (que se localiza no gramado verde na foto a baixo).

Foto Felipe Ragusa

 

Uma joia “escondida”, em pleno Centro de São Paulo.

Fontes : Arquivo Estado de São Paulo & Livro “Charles Miller – 1894-1994” de John Mills